quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Já nada sei.



Sinto a necessidade de cravar umas quantas palavras de desespero neste meu agradável refúgio. Preciso de falar para os dois, mas seria muito inconveniente e cobarde da minha parte se o fizesse. Por isso, dirijo-me a ti. A ti, porque errei em tentar deletar-te definitivamente do meu coração, em pensar que o teu silêncio fosse prevalecer para sempre e em tentar refugiar-me de ti. Sei que no teu pensamento vagueiam ideias que na realidade não são verdadeiras e muito menos razoáveis comparado a um todo que carrego no meu coração e simultaneamente no meu subconsciente. Admito que errei, mas sei também declarar pormenorizadamente todos os erros que cometeste. Eles não são poucos e muito menos insignificantes. Mas apesar de todos os erros, eu continuo a pensar em ti todos os dias, todas as noites e em todos os momentos monótonos do meu dia. Ainda sonho contigo e ainda desejo anseosamente que todas as nossas idealizações não se dispersem e muito menos se quebrem com o silêncio que se irá instalar no nosso caminho daqui adiante. Não foram estes o planos que edifiquei para o nosso futuro. Era o oposto e o contrário. A felicidade e a confiança. A resistência e o amor. Os sorrisos e as carícias. Muitas foram as vezes que conversamos sobre um futuro em conjunto e muitos foram os momentos em que resistimos. Lutamos, ultrapassamos e vencemos. Talvez seja por isso. Por termos vencido obstáculos que nunca pensei que pudessem, um dia, caracterizar a nossa história. Aspectos relevantes e preocupantes para corações e mentes minimamente sensivéis e objectivas. Morro de saudades dos teus beijos delicados, dos teus abraços aconchegantes, do teu cheiro inconfundivél e do teu toque sensivél. Se as circustâncias permitissem, estaria a ir ao teu encontro. Iria dizer-te que és parte integrante do meu coração e que apesar de todos os erros cometidos continuas a ser importante para estampar um sorriso verdadeiro no meu rosto. Eu sei. Pedias-me (n) vezes para sorrir para ti. Era um sorriso autêntico e verdadeiro, originado pela felicidade que me transmitias e doavas incondicionalmente. As saudades são muitas, a angústia é enorme e a necessidade de um abraço é insuportável. Mas mesmo assim, chego à conclusão que, secalhar, já nada valerá a pena. Mas ainda assim, volta a falar-me, eu necessito das tuas palavras e da tua atenção. Fico à espera.

40 comentários:

  1. este post foi tão.. puro [será a palavra exacta?!, acho que sim].

    ResponderEliminar
  2. está tão sentido o texto, tão especial.
    Força minha querida.

    ResponderEliminar
  3. Escreves muitíssimo bem, Catarina !
    beijinhos *

    ResponderEliminar
  4. Compreendo-te perfeitamente :|
    ''Fácil é gostar, difícil é esquecer''

    Boa sorte :)

    ResponderEliminar
  5. tenho a certeza que se ele sentir o mesmo por ti, essas saudades e angustia de estar sem ti, então ele irá falar-te e oferecer-te as palavras e atenção que tanto necessitas.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, bem preciso de força, acredita *

    ResponderEliminar
  7. Amorzinho, há um selinho para ti em meu blog. http://catiamourisca.blogspot.com/

    Ótimo fim de semana.

    Bjo **

    ResponderEliminar
  8. O texto está cheio de sentimento. Está lindo.

    ResponderEliminar
  9. É tão bom saber isso querida *.*
    Está lindo, lindo!

    ResponderEliminar
  10. nada disso meu bem.
    escreves cada vez melhor.

    ResponderEliminar
  11. como me revejo aqui minha querida, revejo todas as minhas emoções neste teu texto. que nunca te falte a força de continuar, que nunca te falte esse teu sorriso que move montanhas. mereces mais que tudo ser feliz, e eu, embora muito ausente, cá estarei para ver a tua felicidade, as tuas palavras. sempre aqui!

    ResponderEliminar
  12. ''Fácil é gostar, difícil é esquecer''
    Concordo tanto!

    ResponderEliminar
  13. o amor é uma complicação e faz-nos sofrer. mas porque será que não conseguimos viver sem ele? será que somos nós que o complicamos demais?

    ResponderEliminar
  14. Lindo, lindo, lindo! :D

    beijinho querida

    ResponderEliminar
  15. adoreii, está lindo! :)
    *sempre adorei os teus posts, e como escreves!
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  16. Catarina, enches-me o coração sempre que cá apareço. :3
    Fantástico, e sabes, saudade é mesmo mau. s: Dói e corrói. Luta por ela, luta por manteres quem te é importante, nem que em diferentes patamares da tua vida, mas sempre na tua vida. :)

    ResponderEliminar

Abre o teu coração e exprime-te com as palavras que dele chegam (: